segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

O Oscar pelos olhos dos canadenses

Há tempos vem se falando dos filmes e atores com boas chances no Oscar e tudo mais. Mas, depois do anúncio dos candidatos, as notícias sobre o Oscar aqui são mais ou menos 40% sobre todo o resto e 60% sobre os canadenses indicados.

Este ano foi um recorde: 10 canadenses estavam entre os atores, diretores e roteiristas indicados. Nem todos poderiam ganhar, pois alguns estavam na mesma categoria. Cada dia tinha uma nova entrevista ou comentário sobre eles.

Bom... nenhum canadense levou nenhuma estatueta. Então agora, no dia seguinte à cerimônia, as notícias são mais ou menos 30% sobre a cerimônia e os vencedores e 70% sobre os canadenses que não ganharam, por que não ganharam, se ser indicado mas não ganhar é ruim ou é bom, etc. Eles fingem levar tudo bastante na brincadeira, mas dá para sentir a frustração. Aliás o misto de complexo de inferioridade e superioridade dos canadenses com relação aos EUA é algo bem peculiar...

Com relação ao Oscar, o que eu achei digno de nota é que nenhum americano levou o prêmio pela atuação. Os atores vencedores foram uma inglesa, uma francesa, um irlandês e um espanhol. Sei lá, ou a Academia está mais receptiva para membros de outros países ou o elenco americano precisa dar uma renovada. Ou foi só coincidência. Tanto faz. Mas eu acho que o Daniel Day-Lewis deveria ganhar todos os anos, porque ele é um charme.

2 comentários:

Dafne disse...

Olha eu saindo da toca... Costumo vir aqui, mas nunca me manifesto!

O Daniel Day-Lewis é um charme sem dúvida, mas ao contrário do que o sotaque perfeito dele em "Em Nome do Pai" possa indicar, o danado é inglês. :)
Mas já que é para falar de irlandês, teve o Glen Hansard, músico e mente por trás da banda The Frames, que venceu por Melhor Canção Original com a fofa da Markéta Irglová. E ele cantando com sua "lucky guitar", velha e toda esburacada, foi um máximo! =)
Eu sei muitas informações nerds sobre o filme em questão - o "Once" - que o tornam ainda mais interessante, mas acho que não cabe dizer tudo aqui. Só o recomendo enfaticamente!

Carol disse...

Eu tinha respondido, mas meu comentário desapareceu. Não entendi...

É verdade, o Day-Lewis é inglês. A vida toda eu achei que ele fosse irlandês...

E também descobri que a coadjuvante que ganhou não é inglesa, mas escocesa.

Enfim... nenhum deles é americano.

Tô por fora desse "Once". Preciso me atualizar. Vou dar uma olhada.