quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Procrastinando em Toronto, ou equação de primeiro grau

É o Gus:

dá para ver que eu tenho coisa para fazer, certo? Eis o problema da Procrastinação:

Dado um Trabalho (T) a ser entregue em menos de duas semanas, um Aluno (A), sem Saco (S) e com Obrigação (O) de fazê-lo, qual o valor de T?

Onde:

T = ?
A = 1
S = 0
O = 100

T = A(O-S) = 1(100-0) = 100. Correto?

Não, porque esquecemos da variável oculta P (Procrastinação, igual a zero, mas que também pode ser chamada de Internet (I), Televisão (Tv), ou Blog dos Ducs (BDucs) ;) ) e que divide a equação acima. Então:

T = [A(O-S)]/P = [1(100-0)]/0 = indefinida!!!

na vida real: zero trabalho, zero nota.

Chega, vou trabalhar.

6 comentários:

Daniduc disse...

Caraca, meu sonho sempre foi produzir algo que as pessoas achassem mais divertido do que trabalhar! Estou conseguindo?! YAY! :D

Gus disse...

E veja bem, mais divertido que TV e Internet (considerada aqui em sentido genérico).

Anônimo disse...

Essa está ótima. A equação, que se inicia como elocubração filosófica, é comprovável na prática, tornando-se em teoria científica. E, claro, muito abrangente: basta trocar A por qualquer atividade (advogado, engenheiro, médico, tradutor, etc.) e a variável P por, entre outras atividades procrastinatórias, a leitura do Blog dos Alfaro de Carvalho na hora de fazer uma petição (ou operação, ou cálculo,etc.) chatíssima. Parabéns filhos gênios. Eu sabia que o meu sangue não negaria sua força. O pai e sogro.

Gus disse...

Pois é, a ciência trabalhando pelo regresso da humanidade. Ou seria progresso? Ah, sei lá. Vamos voltar ao trabalho...

Daniduc disse...

Eu ia comentar, mas vou deixar vc trabalhar ;) hehe.

Gus disse...

Ah, pode comentar à vontade, meu trabalho está pra lá de comprometido mesmo...