terça-feira, 11 de novembro de 2008

Remembrance

Parece muito estranho para nós todo esse movimento em torno dos caídos nas guerras. No Brasil é coisa de militares, e guerra é uma coisa que acontece lá longe.

Hoje é Remembrance Day, dia que lembra o armistício da Primeira Grande Guerra -- e, por extensão, todas as guerras seguintes e os que morreram nelas. É uma data importante em todo o Commonwealth.

As guerras sempre foram distantes do Canadá, mas os canadenses participaram de todas as guerras em que os britânicos se envolveram: Primeira, Segunda, África do Sul e Coréia, além de algumas missões de paz (ou não de tanta paz assim), como em Ruanda e, atualmente, no Afeganistão.

Há algumas semanas vemos gente com flores de papoula nas lapelas, vendidas por veteranos e voluntários para arrecadar dinheiro para as associações de veteranos. Difícil ver alguém que não use.

Por que papoula? Pois é a flor que cresce entre as tumbas do cemitério de Flandres, na Bélgica, onde estão os mortos da Primeira Guerra, segundo foi imortalizado no poema "In Flander's Fields", que acabo de descobrir que é de autoria de um canadense.

E o jornal vem publicando há dias histórias heróicas sobre canadenses em uma seção especial.

É uma relação um pouco ambígua entre não ser a favor da guerra mas apoiar e prestar homenagens aos que lutaram nelas.

E aqui é muito comum encontrar gente que lutou em alguma guerra. Todos conhecem alguém, ou basta dar uma perguntada para encontrar veteranos facilmente.

Não sei bem o que eu penso sobre isso.

2 comentários:

Daniduc disse...

Quando estivemos em Londres semana passada (pensei que nunca iria escrever uma frase assinm, olha que coisa louca é a vida), vimos essa flor em toda a parte. Demoramos pra entender, mas vimos na BBC eles falando (e usando)

hey, o Canadá foi o pais que liberou a Holanda na segunda Guerra, sabia? No dia da libertação (Bevrijdingsdag, 5 de maio, a cada cinco anos), rola uma grande festa, em que é um bom dia pra ser canadense na Holanda...

Daniduc disse...

hm, truncou. "Demoramos pra entender, mas vimos na BBC eles falando (e usando) o que era."