quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Mais uma receitinha: fetuccini à primavera

Esta aqui nós fomos experimentando e aperfeiçoando. A última que fizemos, no sábado passado, ficou, modéstia à parte, irretocável. Ficamos até o dia seguinte lembrando como estava bom. É muito simples, leve e saudável (ou pelo menos parece), e foge daqueles molhos tradicionais das massas (com o perdão dos italianos que porventura passarem por aqui -- se para vocês o único molho admissível for sugo, não continue lendo).

Comece colocando a água da massa para esquentar.

Em outra panela, vá preparando a guarnição primaveril (também ótima no verão e no outono, e no inverno também não é proibido):

Ingredientes: 1 cebola pequena cortada em gomos, um tomate idem, duas cenouras pequenas fatiadinhas na diagonal (adoro cortar cenoura assim, fica fofo), um brócoli americano pequeno. Podem entrar também ervilhas frescas, champignons frescos e alho poró, dependendo das preferências. O nosso de sábado teve alho poró e ervilha. Também vai queijo parmesão (do comum mesmo, de pacotinho), creme de leite fresco e salsa e cebolinha.

Na panela com um pouco de azeite, coloque a cebola, o alho poró, o cogumelo, e um minutinho depois o brócoli, a cenoura e a ervilha. Não ponha o tomate ainda. Refogue em fogo médio, com sal, pimenta e nós moscada (a Carol esqueceu do tomilho ;)). Não coloque água (eu nunca cozinho legumes em água; só o vapor que eles soltam é mais do que suficiente). Se estiverem meio secos e parecer que forem queimar, abaixe um pouco o fogo e tampe a panela durante 1 minutinho, para formar vapor. Quando estiverem mais murchos mas ainda bem firmes (eu adoro deixar o miolinho da cenoura e do brócoli crocantes, ainda mais num prato assim), jogue o tomate.

Enquanto isso, a água deve ter fervido e a massa já pode estar dentro. Nós fizemos com fetuccini desta vez, mas pode ser fusili ou penne (ou qualquer massa básica que carregue bem o molho). Só acho que as massas recheadas não combinam muito bem com um recheio tão variado. Para nós dois, umas 200 g de massa dão e ainda sobra.

Voltando à primavera, quando o tomate começar a murchar (não pode demorar muito tempo, senão ele desaparece), é só jogar bastante queijo ralado e um pouco de creme de leite. Quanto? Sei lá, não tem muito erro. Assim: nem muito pouco, nem muito muito.

Quando a massa estiver al dente (nada de massa molenga, por isso eu gosto das integrais ou das italianas "de verdade"), é só coar a água e jogar a massa no molho ou, dependendo do tamanho da panela, o molho na massa. Com o fogo baixo, misture bem tudo.

Após desligar o fogo, ponha a salsa e a cebolinha.

No prato, um bom parmesão italiano (agora sim, um naco de verdade) ralado na hora dá o toque final.

Satisfação garantida ou seu dinheiro de volta.

Nenhum comentário: