quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Culinária canadense X culinária holandesa

É o Gus:
(Carol comentando em vermelho) (Gustavo comentando a Carol em verde)

Esse post é derivado de um comentário que fiz no blog dos Ducs em um post hilário deles sobre a comida na Holanda (clique aqui):

"Fala Dani, (e Carla! Não esquece da Carla)

pois é, se você está reclamando da Holanda é porque você não veio passear aqui no Canadá. Aqui, eles têm orgulho da herança cultural inglesa, e culinária também é cultura, certo? Pois bem, o comida típica deles (aliás, a resposta para essa pergunta é quase sempre uma risadinha e uma cara do tipo “pô, cê tá louco, isso aqui é o Canadá, nenhuma comida típica é boa…”) segue os padrões culinários da Grã-Bretanha, ou seja, abaixo da crítica. Se não eles não tivessem a influência francesa em Quebec e muita imigração, o negócio aqui ia ser sinistro.

Alguns pontos culinários de relevo (veja bem, relevo pode ser para cima ou para baixo, certo? O Grand Canyon também é parte do “relevo dos EUA) aqui em Toronto (não podemos falar de Quebec ainda, hehehe):

Altos:

a) qualquer coisa não “inglesa”: o mais comum de achar por aqui é a culinária chinesa, vietnamita ou tailandesa. Há ainda muitos restaurantes de comida indiana e afins (bangladeshi, nepalesa, “Srilanquesa”, etc. - ah, não olhei no dicionário como escreve não). Comida italiana e portuguesa também é comum. O maior problema com a comida chinesa et al. é que, em geral, quanto mais furreca o lugar, melhor a comida. Tá, parece fácil, mas vai entrar no restaurante com patos laqueados e pedaços de porco BBQ (um porco meio defumado com molho agri-doce tipo barbecue) pendurados na vitrine. Argh. (Sério. Eu nunca consegui entrar num desses chineses pé-sujos onde o Gus já foi. Só de olhar, o estômago embrulha.) Outro problema com os orientais é que eles usam coentro para tudo, e eu odeio coentro. Tenho sempre que pedir para tirar. Mas comi muito bem e barato em uns restaurantes vietnamitas (mas não me aventuro no Pho, o sopão-cabe-tudo-que-você-tem-na-geladeira deles). Comemos também em restaurantes indianos bons… (restaurantes gregos! gyros, muito bom)

b) Diversidade: bom, há imigrantes de todos os lugares do mundo aqui, então há restaurantes com comida de tudo que é lugar. Comemos em um restaurante iraniano bem legal, e o pessoal da universidade volta e mexe vai em um restaurante etiope lá perto… (Esqueci da comida grega! É boa, gostosa e barata.)

c) Carole’s Chessecake: Cara, esse lugar é um must…

d) Donuts: bom, há controvérsias se donuts são bons ou não… além disso, alguns canadenses dizem que os donuts foram inventados no Canadá (os americanos começam a rir quando eu menciono isso). Os donuts do Tim Hortons (O McDonalds canadense) são bem gostosos. (Não, eles não tem voodoo donuts aqui, Érica)

e) produtos frescos de Ontario: hortaliças e frutas da região são muito bons. As berries são deliciosas.

f) derivados do leite: parecem bons, mas a verdade é que tenho intolerância à lactose e não dá para sair experimentando. A vantagem é que quase tudo você pode comprar “lactose free”.

Neutros:

a) Maple Syrup: bom, se você gosta, gosta, se não gosta, não gosta. Não tem jeito. O Maple syrup é feito da resina da maple tree, aquela árvore cuja folha está na bandeira e é o símbolo do Canadá (tudo aqui é maple alguma coisa), mas há diversas variedades de maple e não sei se qualquer uma dá essa resina. (É só o tipo que eles chamam de "Sugar Maple", que não sei exatamente qual deles é. Tem pelo menos 3 tipos de maples que dá para identificar bem. Aqui quase tudo tem sabor de maple syrup. Eu acho muito enjoativo.) (Eles vendem no supermercado um caramelhos de maple syrup que lembram na aparência o doce de leite em cubinhos que temos no Brasil. Só na aparência, claro.)

b) Café (e afins) do Tim Hortons: bom, isso também é controverso. Faz parte da identidade nacional do canadense andar com o copinho de café na mão, principalmente no inverno. Mas eu acho ruim. Tem gente que acha bom. A Carol adora o Mocca (metade café, metade chocolate) deles, eu acho fraco…(Pô, tem dias que bate um desejo incontrolável do Mocca do Tim Hortons. Acompanhado de um donut, então...) (os muffins também são bons)

c) restaurantes italianos: comemos em uns bons restaurantes, mas em geral são muito caros (cadê as cantinas??? tá cheio de italianos aqui nessa cidade!!). (Isso é incompreensível para nós. Aqui os restaurantes italianos são considerados românticos: tudo à luz de velas, mesinhas para dois, e aqueles pratos caros com três raviolinhos e um raminho de sálvia. Me poupe, eu quero aquelas macarronadas das cantinas paulistanas!)

d) Poutine: o poutine é uma especialidade de Quebec, nada mais sendo do que batatas fritas, queijo derretido por cima e molho suspeito. Me juraram de pés juntos que quando bem feito, é bom. Até agora, não vi nada bem-feito. (Em tese, vamos comprovar isso em Montreal. Dizem que dá para sentir o tranco nas artérias.)

e) ginger ale: refrigerante canadense, com gosto de… ginger ale. é fraco. A Carol gosta. (Putz! Delicioso! É o que as Sprites da vida querem ser quando crescerem.)

Baixos:

a) pizza: é possível estragar a pizza? Pois aqui, sim. Primeiro, quase não vem queijo. Depois, os sabores normais são muuiiiiito bizarros (tipo hamburguer, carne seca, abacaxi, champignon e maple syrup). (Almôndegas. Fatias de bacon. Frango. Molho barbecue.) Vai entender. (Sério. Os caras têm problema.) (A Carol notou bem: é impossível achar uma pizza básica, do tipo Marguerita. Até a "Pepperoni básica" pode vir acompanhada de "ingredientes nada a ver")

b) restaurantes franceses: se você quiser, é bom vender um rim antes de entrar em um deles. Aparentemente, há restaurantes com chefes de renome por aqui, mas como vivo abaixo da linha da pobreza, não são para o meu bico. (Ah, vai, eles regulam com os italianos...)

c) restaurantes japoneses: também muito caros, e fraquinhos.

d) comida canadense: se você gostar de carne dura e sem gosto, acompanhada de batata, repolho e Yam (um tipo de tubérculo) cozidos e sem sal, então sinta-se em casa. (Aliás, a culpa não é do yam, que fica até gostoso... quando temperado)

e) frutas importadas: nenhuma fruta importada aqui é boa. Zero. Nenhuma mesmo. Mangas, bananas… tudo sem gosto e meio verde. Deve ser porque são congeladas e trazidas, sei lá. Maior decepção. (Vamos de very berry mesmo.)"

3 comentários:

daniduc the dude disse...

Pos muito legal!! Temos algumas coisas em comum... pizza aqui é uma lástima, assim como fruta importada - as piores mangas do mundo devem estar aqui, e olha que elas vem do Brasil (justamente por isso. Algo na exportação destroi as mangas. Tenho que informar todo holandês de que eles não conhecem manga.) Mas as frutas que tem aqui, em compensação... cerejas, pêssegos, hmm, ameixas e, claro, as berrys.

cara, eu confesso que... bem... eu... hã... eu gosto de Mapple Syrup! E ainda por cima compramos um mapple syrup holandês! E digo que ele torna nosso pannenkoekendag melhor :)

Aqui na Holanda também está cheio de restauranmtes de outras nacionalidades, indianos, indonésios e italianos. MAs tbm tem por toda parte, principalmente em Amsterdam, churrascaria argentina (!!) e tapas. Tapas é grande moda aqui. Mas o negócio dos holandeses é fritar tudo e mandar pra baixo com bacon e maionese, regado a hectolitros de heineken e ai voltar pra casa pedalando bêbado sem as mãos enquanto fala no celular, logo depois de se despedir de seuss amigos aos berros melosos de DooooooooooooooOOOOOoOOOOeeeeeiiiiiiii!

PROST! :)

daniduc the dude disse...

Alias, o título desse post é o melhor! hehe, curti. Culinária inexistente x culinária inexistente! hahaha.

carladuc disse...

Tem mais uma coisa em comum que pra mim foi marcante aqui, o caramelo com cara de doce de leite.

Fomos num famoso mercado aqui, chamado Albert Cup, uma feira de rua que eles chamam de mercado e acham muito especial, hehe, e tinha numa das barraquinhas lindos caramelos que lembravam demais aqueles doces de leite em cubinhos. Por mais que eu racionalmente soubesse que não eram doce de leite, eu não pude resistir, comprei e experimentei. Não teve como eu gostar daquilo. Meu inconsciente esperava por doce de leite e mesmo que o caramelo fosse gostoso (não poderia dizer), eu achei enjoativo e fiquei frustrada, saudosa do delicioso doce de leite em cubinhos que temos no Brasil. :)