quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Cervejinha canadense III

É o Gus:

Quando estávamos naquela cervejaria no Distillery District, a Mill St., compramos algumas das cervejas que eles produzem para experimentar. São bem gostosas. Aliás, eu já tomei outras que são bem boas, especialmente se compararmos com a 'milherja' - o troço de milho tipo Budweiser - dos primos do sul. Não que os canadenses sejam especialmente reconhecidos pelas cervejas daqui, claro, até porque eles produzem muito lixo também e - surpresa - importam Brahma do Brasil.

Isso realmente depõe contra a imagem de qualquer um.

Bom, aqui estão algumas das cervejas que estamos experimentando:

Organic: Essa é uma cerveja bem levinha e fraca, mas tem um gosto interessante e, claro, é orgânica. Não me pergunte o que isso significa, ou em que altera o processo de fermentação e etc. Eu achava que toda cerveja era orgânica por definição, como o plático, aliás (nessa eu estou plagiando o Jorge).

No final, até que valeu a pena, mas foi trazida mais por lobby das mulheres. Claro. :)


Stock Ale: mais forte que a Organic, mas nem tanto assim. Saborosa, mas ainda preferia trazer a Amber Red, uma cerveja de tipo 'amber', ou seja, avermelhada, que eles produzem e é muito boa. Não me perguntem detalhes técnicos, ainda vou aprender a diferenciá-las no futuro.

Mas é bem razoável, e também foi trazida a pedido das mulheres - elas vetaram a Amber porque era 'muito amarga'...


E há outras interessantes por aqui também: Steam Whistle, Moosehead, Creamore, Fin du Monde (de Quebec, alto teor alcoólico, mas muito boa), Blanche de Chablis (também de Quebec, cerveja branca), e, atualmente a maior diversão: Coffee Porter, também da Mill St. Amarga e escura, fermentada com grãos de café. Claro, tem gosto de cerveja com café. Mas é divertido... terminantemente vetada pela mulherada no Natal (mas a Carol gostou). coloco fotos depois.

Nenhum comentário: