domingo, 27 de maio de 2012

Gandalf curtindo o verão

O Gandalf (nosso gatão) viveu 7 anos em apartamento, vendo tudo lá do alto. Aqui em Toronto, vivemos no piso térreo de uma casa e os dois gatos adoram ficar nas janelas. A Mafalda é medrosinha e só quer saber de ficar dentro de casa, mas o Gandalf morria de curiosidade de passar da porta de casa.

Há dois anos, eu comprei uma coleira para ele, especial para gatos. A adaptação foi bem fácil, pois ele logo percebeu que tinha que aturar a coleira para poder explorar o exterior. Mas ele praticamente só ficava no jardinzinho de casa ou contornava a casa e só. Ele se assustava muito com carros e não entendia bem como funcionavam os comandos com a coleira - eu puxava para um lado e ele puxava para o outro.

Ele progrediu muito. Agora ele chega a se afastar dois quarteirões de casa. Aprendeu a atravessar a rua sem parar no meio e entende bem meus comandos, que sempre combinam sinais com a coleira e principalmente comandos verbais, que ele entende perfeitamente.

O Gandalf é altamente excêntrico e louco por plantas. Se dependesse dele, seria vegetariano. Então, sair de casa era basicamente para comer tudo o que fosse verde. Até recentemente, ele mal olhava para a paisagem. E também, até este ano, praticamente não pisava na grama - grama é comida, e você não caminha em cima da sua saladinha, não é? Ele andava só pela calçada e a sarjeta da rua, e ficava meio aflito quando eu o colocava na grama.

Após vários dias insistindo para ele andar pela grama e dizendo "não" umas 20 vezes por minuto quando ele só queria saber de comer grama a cada passo, ele finalmente captou o espírito da coisa. Hoje, pela segunda vez, ele fez uma longa caminhada pela grama e sentou para observar os passarinhos. A nossa vizinha lelé põe água para os passarinhos e fica uma algazarra (ela punha comida também, mas aí juntava uma bicharada e a dona da nossa casa a convenceu a não pôr mais comida).

As prioridades do Gandalf no mundo são, primeiro e acima de tudo, as plantas. Dr. Livingstone em versão felina.

Em segundo lugar, as pessoas. Se houver um grupo de pessoas, ele vai observá-las. Duas vezes ele me levou até o campo de beisebol na frente de casa e ficou observando os meninos jogarem. Isso mesmo: beisebol. E até quando a criançada sai da escola (também na frente de casa) ele deixa várias crianças mexerem nele. Hoje nós caminhamos por um gramado que dá para os fundos de várias casas, e ele adora bisbilhotar. Se estiver rolando um churrasquinho, então, ele senta e observa tudo como se fosse um dos convidados.

Finalmente, em terceiro lugar, ele tem um ligeiro interesse por outros animais. Ele curte observar os passarinhos, mas nunca foi atrás deles. Gosta de fazer os esquilos correrem e, naturalmente, olha feio para qualquer outro gato. Os cachorros ele ignora solenemente, exceto o beagle simpático do vizinho, que ele se digna a cumprimentar. Ele se interessa mais por insetos e formigas, mas só os observa e os deixa em paz - pura curiosidade científica.

Eu saí com ele ontem e hoje e editei o vídeo abaixo. A dinâmica é sempre a mesma: primeiro ele só quer comer grama, depois começa a curtir o passeio. Tem dias que ele dá uma volta pequena e logo quer voltar para casa, mas quando ele se empolga, como hoje, ele não quer voltar. Basta eu dizer "vamos para casa" que ele se atira no chão. É preciso negociar com ele alguns minutinhos. Mas, quando ele finalmente concorda em ir para casa, ele realmente começa a marchar para casa e não para mais, e eu só o sigo.

Ah, e claro, inevitavelmente alguém para e faz alguma exclamação do tipo "Nossa, um gato de coleira!" E hoje não foi diferente. Por mais curto que seja o passeio, alguém vai parar para comentar.

Então aí está, o gatão de 9 kg (que não engorda há dois anos, graças ao novo exercício) e uma palhinha da gatinha de 4,5 kg.


3 comentários:

Bianca Bold disse...

Hehehe... é muito curioso esse aí!! :-)

Melissinha disse...

"Basta eu dizer "vamos para casa" que ele se atira no chão. É preciso negociar com ele alguns minutinhos. Mas, quando ele finalmente concorda em ir para casa, ele realmente começa a marchar para casa e não para mais, e eu só o sigo." - CONHEÇO BEM.

Carol disse...

Hehehe... O Gandalf pensa que é gente, eu tenho certeza disso.