quinta-feira, 9 de abril de 2009

Imigração: primeiro passinho dado

Pusemos os documentos com o pedido de imigração no correio na segunda semana de janeiro, como relatado na época.

Ontem recebemos um envelopinho de Buffalo. Fiquei meio tensa... Mas era a confirmação de que receberam os documentos e mandando o número do nosso processo.

Ficamos muito felizes com a rapidez: menos de 3 meses!

Mas isso ainda não significa que está tudo certo e que somos "eligible", isto é, que somos candidatos viáveis. Eles só aceitaram começar a examinar nossa documentação -- e aceitaram a ordem de pagamento também, é claro.

Na segunda metade do ano passado, houve algumas mudanças no processamento de pedidos, o que inicialmente nos deu um susto.

Nós tínhamos todas as informações e instruções na metade do ano, e com base nisso fomos atrás de toda a papelada, fizemos as traduções e rascunhamos tudo. Mas, eu com minha cricrizisse, bem na hora de preencher os formulários no começo de janeiro, entrei no site e baixei tudo de novo só para ter certeza de que estávamos com os formulários atualizados.

Foi aí que eu vi que as instruções estavam diferentes, muito maiores e com categorias diferentes para trabalhadores qualificados. Mas desta vez havia um item especial para quem estivesse morando legalmente no Canadá, a estudo ou trabalho, há 12 meses e com visto válido por mais 12 -- nosso caso.

A carta que recebemos agora alerta para essas mudanças, que são retroativas aos pedidos feitos desde fevereiro de 2008. O objetivo é se livrar da fila imensa de pedidos que está toda engarrafada, processando mais rapidamente os pedidos de profissionais que eles consideram prioritários.

A notícia é boa para alguns e ruins para outros. Conforme detalhado na nova legislação, terão prioridade no processamento:
  • 38 profissões de alta demanda -- geralmente mais técnicas, ligadas à indústria de mineração e petróleo, nenhuma das quais tem nada a ver com a gente
  • Profissionais que já tenham uma proposta de emprego garantido no Canadá, o que também não é o nosso caso, ou
  • Residentes temporários, sejam trabalhadores ou estudantes internacionais, que estejam no país há pelo menos 12 meses -- é nóis!!
Esses casos serão processados rapidamente, em aproximadamente 1 ano -- ou pelo menos essa é a meta.

A má notícia é que, no caso de quem não se enquadra nesses casos específicos, a imigração agora tem o direito de nem sequer processar o pedido. Quer dizer: a pessoa pode ser ultraqualificada (um físico nuclear, digamos), mas só isso não garante que o pedido seja processado. Isso para eliminar a tal fila de espera, causada pela necessidade de processar todos os pedidos para depois rejeitar vários.

Nós tivemos sorte. Muita sorte. Se não fosse por essa mudança que visa fazer com que os estudantes de cursos superiores e longos (de pelo menos 2 anos, geralmente) permaneçam no país, apesar de sermos qualificados e acumularmos uma pontuação bem mais alta do que a nota de corte para ser aceito, talvez nosso pedido fosse rejeitado.

Em suma, é preciso ler muito bem todas as informações, mantendo-se atualizando e lendo tudo de novo de tempos em tempos, pois a legislação vai mudando rapidamente para suprir as necessidades.

Nenhum comentário: