sexta-feira, 11 de abril de 2008

Para quem visita Toronto

Um guia muito legal que o Rafael e a Erika nos emprestaram se chama "Time Out - Toronto", da Penguin. Simpático, prático e muito informativo.

Eu adorei o texto de abertura, que transmite exatamente o que sentimos aqui em Toronto, mas é difícil de expressar para os demais, sobretudo quem vem passar poucos dias e acaba usando todo o tempo para ver as atrações turísticas tradicionais.

Traduzo a parte principal:

Não leve a mal, mas Toronto não é a cidade visualmente mais impressionante que você vai ver na vida. O planejamento é meio arbitrário, seu passado muitas vezes fica para trás, o potencial da orla do lago em grande parte foi desperdiçado e, apesar da agulha da CN Tower, o perfil arquitetônico da cidade é modesto. Mas todos sabemos que o tamanho (vertical) não é importante. Trata-se de uma cidade real, no nível da rua, com uma juventude vigorosa, sem nada daquela indolência fin-de-siècle de quem tem uma longa história e com um futuro aguardado com impaciência.

Você vai escutar essa ladainha tantas vezes que pode até pensar que é algum complexo. Toronto é a força motriz da economia canadense, o coração de sua mídia, o lugar ao qual gente de todo o Canadá e do mundo se dirige, uma cidade em crescimento acelerado. Ela abriga o terceiro maior Mardi Gras do mundo, o segundo mais importante festival de cinema, o terceiro maior complexo teatral de língua inglesa, restaurantes excelentes e uma população tão diversificada que em 1989 a ONU a declarou a cidade mais multicultural do mundo. Talvez essa ansiedade também se deva ao fato de que Toronto é confiante, e até mesmo arrogante, com relação a seu status de maior cidade do Canadá, porém insegura globalmente. Até certo ponto, esses dois aspectos caminham juntos. O próprio Canadá tem um certo estigma problemático, então a inveja entre cidades é intrínseca.

Você perceberá que freqüentemente vão pedir sua opinião sobre a cidade. A ironia é que, se por um lado Toronto se preocupa com seu status global (ou com a notória falta dele), por outro os visitantes gostam dela do jeito que ela é. É grande, metropolitana e agitada culturalmente, mas sem ser suja, perigosa ou cronicamente congestionada. Até mesmo no centro ainda é totalmente autêntica, uma cidade não padronizada, composta por muitas lojas e restaurantes familiares e pequenos, com uma indústria ativa e atitude positiva. Se, de início, os visitantes não se impressionam muito com ela, eles logo entram no ritmo: aceite o fato de que Toronto tem poucas atrações visuais óbvias, vá de bonde para os diferentes bairros, coma fora e passeie, dê tempo para que a cidade cresça dentro de você -- basta fingir que mora aqui e você compreenderá por que tanta gente faz essa escolha.


E ontem achei também uma lista muito legal com 25 dicas de coisas para se fazer em Toronto, seja a turismo ou para quem já mora aqui. Achei a lista excelente, porque inclui todos os lugares e passeios mais bonitos que já fiz mas fugindo do esquema turistão.

A lista completa está aqui, com a descrição de cada dica e vários links úteis. Para quem não entende bem inglês, listo só o título de cada uma. Para quem pretende conhecer Toronto, realmente vale a pena incluir alguns desses programas na agenda, dependendo do perfil de cada um:
  1. Deitar de barriga para baixo no piso de vidro da CN Tower
  2. Ficar sentado no andar superior da Union Station na hora do rush
  3. Patinar na Nathan Phillips Square (no inverno)
  4. Fazer uma visita guiada à cervejaria Steam Whistle
  5. Tomar chocolate quente na Soma, no Distillery District
  6. Percorrer a Toronto Island de bicicleta (no verão)
  7. Fazer compras no Honest Ed's
  8. Caminhar pelo calçadão da praia
  9. Visitar a Dundas Square
  10. Jantar em um dos restaurantes com chefs famosos
  11. Fazer uma city tour a pé
  12. Explorar outros bairros fora do centro
  13. Andar no bonde da Queen
  14. Fazer compras em Chinatown
  15. Tomar um café no Kensington Market
  16. Comer milho verde na calçada na Little India (no verão)
  17. Olhar as vitrines de Yorkville
  18. Atravessar o Hide Park de trem
  19. Caminhar por todo o PATH
  20. Assistir a uma banda de música local
  21. Degustar mel no St. Lawrence Market
  22. Visitar o prédio da CBC
  23. Comer souvlaky na Danforth
  24. Jantar em Little Italy
  25. Ler no jardim da Casa Loma
Nós já fizemos várias dessas coisas e agora queremos fazer mais algumas.

Aliás, a temporada de visitas está aberta. Já recebemos os primeiros hóspedes da primavera e temos 2 visitas rápidas reservadas para o verão. O colchão inflável tamanho queen já foi testado e aprovado, oferecemos pensão completa e cobramos mais barato do que o Sheraton (a rede wi-fi é cortesia).

Nenhum comentário: