quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Lixeiro de Toronto

É o Gus:

O lixeiro passa aqui em casa toda terça-feira. A cidade tem um sistema de coleta seletiva/reciclagem de lixo, e toda semana é uma coisa diferente. O lixo orgânico eles recolhem sempre, mas o resto é mais complicado: uma semana é o lixo reciclável, outra o lixo não orgânico e não reciclável (que, para efeito de simplificação, a gente chama de 'Lixo').

Bom, não dá muiiiitttoooo trabalho, mas é um pouco chato:

- O que é essa semana?
- Reciclável.
- Não, reciclável foi na semana passada, lembra?
- Não, jogamos o Lixo fora.
- Reciclável.
- Lixo.
- Claro que não! Eu fui lá fora com -5 graus! Eu lembro do que eu joguei! Era Reciclável.
- Vamos olhar na internet...

Na segunda preparamos tudo, acertamos o lixo da vez (acho que era o lixo reciclável, não o lixo Lixo) e deixamos do lado de fora. O lixeiro passa sempre cedo, então é melhor deixar as coisas não orgânicas na porta de casa no dia anterior (o lixo orgânico não, porque os guaxinins comem tudo e fazem a maior sujeira - mas a propetária se encarrega de tirar o lixo orgânico bem cedo).

Chegou a terça, e nada do cara passar. Até que lá para o meio-dia apareceu um caminhão de lixo orgânico, um lixeiro só. Ele desceu do caminhão, jogou as latas - isso, as latas - de lixo orgânico para dentro. Depois, ele pegou as caixas de plástico que usamos para separar o lixo reciclável e também jogou tudo para dentro do caminhão (e, claro, meia dúzia de potes de plástico caíram pela rua). Aí, ele foi para trás do caminhão e começou a esvaziar as latas de lixo orgânico. Tudo junto, e sem tirar as caixas de plástico de dentro. Depois, ele arremessou - isso, sem exagero, ele arremessou - as latas de lixo na calçada. Por fim, ele pegou da traseira do caminhão as caixas de lixo reciclável, esvaziou uma a uma, e arremessou - isso, de novo - as caixas na calçada.

Findo o serviço, ele subiu na boleia do caminhão como se nada tivesse acontecido. Ah, e é claro, não recolheu os potes plásticos que ele derrubou na rua.

Bleargh. Perfeito. Os garis do Rio são menos lambões...

2 comentários:

Miss Daisy disse...

Uma solução possível: só comprar o que possa ser comido por inteiro, sem sobras... assim vocês não produziriam lixo! Epa... pode ser complicado... vamos pensar melhor...

Gus disse...

boa idéia, haha

Já pensou? Comida que já vem em embalagens biodegradáveis (ou bio-digestivas)?