sábado, 14 de novembro de 2009

Halloween

É a Carol.

Este ano participamos do nosso primeiro Halloween, em um país que tem tradição de festejar essa data. O Sasha, um amigão meu do tênis, nos convidou para uma festa no apartamento dele, no centro, esquina com a Church St.

Um pouco de contexto: essa rua no centro de Toronto, uma rua bem bacana e com muitas opções de entretenimento, é conhecida como "a rua gay", por ser onde ocorrem os desfiles da Pride (que no Brasil seria a parada do orgulho gay, mas Toronto celebra o orgulho de tudo, inclusive dos héteros e de quem mais quiser participar, embora com uma forte ênfase na imensa variedade de preferências sexuais menos convencionais).

No Halloween, dia 31 de outubro, a Church St. também fica fechada ao longo de vários quarteirões, para as pessoas passearem com suas fantasias. Há um palco com shows também. A matinê é cheia de famílias com crianças e cachorros, e de noite é a grande festa.

Vale lembrar que Halloween tem muita bruxa e caveira, mas o evento virou mais uma mega-festa à fantasia, e vale de tudo. Tem desde quem coloque uma tiara de orelha de gatinha até grandes produções.

Enfim, sendo o Sasha e a Church St., fomos preparados para expandir nossos conceitos e nos divertir muito entre bons amigos. Foi o que aconteceu.

O apartamento pequeniníssimo do Sasha é um primor de nerdice. Milagrosamente, couberam nele umas 30 pessoas. O anfitrião estava orulhosésimo como Supergirl, após meses de dieta, exercícios e preparação da fantasia, além de maquiagem e depilação completa.

Fomos com a Erika, o Rafa (fresquinhos que não se fantasiaram de nada, nhé!) e o Layes. Tinha também outro casal lá do tênis. Outros eram amigos do Sasha, um mais figura do que o outro -- mas não existe ninguém no mundo mais figura do que o meu Superamigo!

Tanto na ida quanto na volta, caminhamos pela Church. O grande barato é todo mundo tirar foto de todo mundo e o astral é ótimo. Meio como um carnaval mas sem aquela baixaria toda; só com as fantasias e a diversão leve.

Bom, chega de papo. As fotos dizem tudo. É ver para crer.



Comentários do Gus:

Como vocês puderam ver nas fotos, eu fui fantasiado de Indigente Jones. Claro, coisa mais "dã" e sem graça, cruzei com mais de um clone na Church. A Carol... bem... a Carol foi fantasiada dela mesma.

Quando você se acostuma com a idéia e desencana, a festa na rua (estava frio pacas) é bem legal. Muitos poucos levam o negócio a sério e celebram o lado macabro e bizarro da data. No geral, é uma desculpa para todo mundo se fantasiar e sair pela rua - algo como um carnaval, só que um pouco mais "família" na rua (claro, vai saber o que rola nos clubes e boites). No geral, o pessoal fica andando de um lado para o outro, tirando fotos e sendo fotografado.

Ah, sim, o apê do Sasha. Para resumir, é o paraíso nerd na terra. Muito legal e bem arrumado, com muitas referências (posters, miniaturas, bonecos, almofadas) do Guerra nas Estrelas, do Senhor dos Anéis, Disney, e outros. Chegamos um pouco mais cedo que o resto da galera, e ficamos uma boa meia-hora só observando e comentando tudo. Muito cool. E, claro, o Sasha é muito figuraça.

Outro destaque: O Layes com o visual Mr. Cool. Quero um chapéu daqueles para as minhas noites boêmias de jazz regadas a bourbon.

Carol de volta: Pois é! O que um bom fedora não faz! O cara estava no trabalho e disse que não ia poder se fantasiar. Aí lá foi ele, de calça risca-de-giz e o chapéu, e ainda dando uma de "não tive tempo de pensar em nada" ;-) Gus, vou te dar um chapéu desse! Eu também já sei qual é o próximo modelo de chapéu que eu quero. Esse lance de gorrinhos de inverno é para losers!

Layes, since we're talking about you, a little help in English: Gus is commenting on your cool looks and saying he wants a hat just like that. But let's face it: a charming dude is a charming dude no matter what. You just can't help it! :-D

E gente, estava frio, viu? O Sasha não teve coragem de sair na Church, e não sei como aquele Sergio aguentou.

Rafa e Erika: sem nhenhenhé na próxima, hein? Queremos ver altas produções hallowínicas no ano que vem!

E para registrar: eu não fui "fantasiada de mim mesma". Eu só tirei a fantasia que uso normalmente.

(Xii, este post começou muito certinho e logo virou uma zona. Culpa do Gus.)

2 comentários:

Patrique disse...

Adorei o post! Você tinha comentado que ia postar sobre esse dia, e eu já estava ansioso!

Uma coisa muito legal, que aqui no Brasil não rola, é o desencanamento das pessoas com fantasia. Eu também fui numa festinha de Halloween esse ano (em proporções BEM menores que a da sua, mas tá valendo) e eu também encarei como uma festa à fantasia. E eu fui muito feliz ao supermercado vestido de Fred Flinstone, pra comprar as biritas pra festa.

Tenho muita vontade de passar um Halloween num lugar assim. O de Toronto já me pareceu ser bem legal, mas dizem que o de San Francisco é alucinante!!!

Gus disse...

Oi Patrique,

só vi seu post agora. O Halloween aqui de Toronto é legal sim, mas não acho que seja conhecido por ser um dos melhores, mais animados, etc. Mas pode valer conferir em pessoa, heheeh.

Abraço!