terça-feira, 6 de outubro de 2009

Jantar bengalês

Oi pessoal, aqui é o Gus.

Há algum tempo estamos perturbando o Layes, que é de Bangladesh, para fazer um "jantar típico" com algum prato bengalês tradicional. Ele nos sugeriu fazer o Korma (ou Qorma), que é uma espécie de ensopado de galinha com batatas à base de curry. Na verdade, Korma é o nome do tempero, comum em toda a região, incluindo a Índia e o Paquistão, mas na culinária bengalesa também designa o prato como um todo.

Claro que não tínhamos pretensão de fazer o autêntico Korma, até porque isso pressupõe que o tempero seja preparado em casa, pela família. O Layes mencionou que nenhuma família bengalesa que se preze compra o molho pronto. Bom, como eu não sou bengalês, me reservei o direito de comprar o molho no supermercado mesmo... mas como um gesto de boa vontade comprei uma marca "autêntica" (para parecer que sabia o que estava fazendo, hehe). Além de vários temperos, os principais ingredientes do Korma são curry e iogurte (que, aliás, eles usam para tudo).


Com o atalho que pegamos ao comprar o molho pronto, ficou fácil de fazer o prato. Primeiro, fervemos algumas batatas picadas em cubos, e reservamos. Depois, refogamos uma cebola e alguns filés de peito de frango picados (compramos já cortados e congelados, o que facilita a vida, mas dá para fazer com qualquer parte do frango, de preferência desossado). Não acrescentamos nenhum outro tempero, só um pouco de óleo, e esperamos o frango ficar bem cozido. Jogamos as batatas e o Korma, acrescentamos um pouco de água, baixamos o fogo e deixamos cozinhando durante uns dez minutos, para a água evaporar um pouco e o frango pegar o gosto do tempero.

Enquanto o Korma cozinhava, preparamos como acompanhamento um guizado de grão de bico, também muito fácil. Compramos o grão de bico já pronto e enlatado, também para facilitar (a marca é boa, então não é tão nojento/industrializado quanto parece). Na panela, adicionamos ao grão de bico uma cebola e um tomate picados, sal e um pouco de curry. Refogamos tudo junto por alguns minutos (como o grão de bico já vem pronto, é mais para cozinhar a cebola e o tomate). Ao final, acrescentamos ainda um pouco de salsinha picada para dar uma enfeitada.

Com tudo pronto, o toque final: autêntico pão naan. E voilà. Um jantar semi-autêntico bengalês, fácil de fazer.


Ficou muito bom mesmo (e foi aprovado com louvor por quem mais entende do assunto por aqui: Layes, nosso consultor honorário para culinária de Bangladesh...)


Só uma observação da Carol:

Já que estamos na terra do multiculturalismo, como não podia deixar de ser, a refeição bengalesa foi precedida por uma sessão animação japonesa e seguida de brigadeiros bem tupiniquins!

E já estamos planejando outros intercâmbios gastronômicos!

2 comentários:

Sibele disse...

Oi, Carol! Nada nõ, só pra dizer que tô sentindo falta de vc na comunidade dos tradutores e que a-do-ro os posts do seu marido, rs. Vcs dois deveriam escrever um livro de crônicas, pois escrevem deliciosamente bem! Beijos.

Carol disse...

Oi, Sibele!

Eu estou tentando passar menos horas por dia no mundo cibernético... Mas estou sempre dando uma passada e sempre a postos.

Bom ver você por aqui!
:-)