sábado, 26 de junho de 2010

O código do consumidor mandou lembranças

Finalmente sou eu, a Carol, de volta ao blog. Vou ver se tiro um pouco o atraso; temos fotos e relatos de longa data para postar, e como isso aqui não é um jornal, não importa muito se os fatos relatados forem do último inverno, não é?

Mas esta é fresquinha, metaforicamente falando.

Não é a primeira vez que reparamos em problemas com produtos que no Brasil seriam graves pelo código do consumidor, mas desta vez foram 3 coisas ao mesmo tempo.

Ontem fui ao supermercado. Entre diversas coisas, peguei uma embalagem com 3 potes plásticos com tampa (tipo "taupé") que estava em promoção; um pacote de cookies meio metido a besta, todo natural e coisa e tal, bem carinho; e, na falta de uma lata de palmitos para fazer uma receita, peguei uma lata que dizia conter palmitos e corações de alcachofra em conserva. Pensei em usar os palmitos para essa receita e as alcachofras para alguma outra coisa.

Assim que cheguei em casa, abri os potes plásticos para lavá-los. Vinham em uma embalagem de cartulina lacrada, impossível de abrir sem rasgar. Rasguei, abri, tirei um pote de dentro de outro... e tinha 3 potes mas só 2 tampas. Olhei por toda parte e realmente não teria como uma tampa ter caído da embalagem, ou alguém ter tirado uma tampa ainda no supermercado. Já separei para levar de volta e tentar trocar quando puder, mas fico me perguntando quantas tampas vão vir da próxima vez.

Aí, hoje no café, fui comer um cookie. Que é realmente fantástico, feito com ingredientes bem normais, sem trecos trans-saturados e tal. Enquanto me deliciava, fiquei explorando o pacote. Decidi ver qual seria a validade, já que é um cookie metido a natural e tal. E procurei, e procurei... E procurei, e procurei, e procurei... Bom, para encurtar: não tem data de validade na embalagem, em lugar nenhum. Juro. E essa é uma das coisas em que tínhamos reparado: só produtos de geladeira mesmo para terem data de validade; o resto é meio aleatório. Acho que as pessoas partem do princípio de que, se está à venda, é porque deve estar bom. Mas já vi carnes escurecidas e já vi massa fresca embolorada, para a qual a moça do caixa me alertou antes de registrar.

Finalmente, me empolguei para fazer uma receita diferente no almoço de hoje. Um colega vegetariano tinha tuitado um comentário sobre um estrogonofe de shiitake com palmito. Não curto shiitake, mas logo imaginei que palmito combinaria bem com estrogonofe. Adoro estrogonofe e curti inventar uma variação. Então comprei cogumelos cimini, que são zero borrachentos (eu tenho um lance com comidas borrachentes, por isso minha birra com a maioria dos cogumelos), a tal lata de palmito com alcachofra, e peito de frango.

Lá fui eu para a panela: cebola refogada, frango dourado, cogumelos salteados, sal, pimenta, molho inglês; catchup e creme de leite a postos... E abro a tal lata. Logo em cima vejo os corações de alcachofra. Retiro uma, duas, três... quatro, cinco seis... e vou tirando, e tirando... e pronto. Todo o conteúdo da lata só tinha o diabo da alcachofra. E o estrogonofe lá, quase pronto, e eu com um desejo louco por palmito... Bom... Mandei um dane-se e enfiei as alcachofras no estrogonofe. E ficou até que bom, até porque convenhamos, em conserva fica tudo a mesma porcaria, palmito, alcachofra ou azeitona, tem tudo gosto de vinagre com sal. Mas pô, já estou ficando meio invocada com essa história de abrir uma embalagem e não saber o que tem dentro. Não curto tanta aleatoriedade nessa vida. Passei uns 5 minutos analisando a lata para ver se dizia "palmitos e alcachofras" ou se seria "palmitos ou alcachofras", mas não, é "e" mesmo. E tem uma fotografia de corações de alcachofra e uns belos talos de palmito, mas pelo visto eles enfiam na lata o que dá na telha, mesmo. Da próxima vez vou passar pela estante de olhos fechados e pegar latas aleatórias, para ver se por acaso surge um raio de um palmito. Meleca.

Só para completar, aqui na minha frente tem uma embalagem de balinhas Pez. Fui conferir a validade. Não achei. Achei um número carimbado, com toda a cara de uma data de validade, só que o número diz "118078". Se isso for uma data, deve ser de outro planeta. Eu, hein!

3 comentários:

Bianca Bold disse...

Carol, até hoje eu só consegui achar palmito no(na?) Dollarama (!!)... pois é. Até que é bonzinho, viu!

Bate lá da próxima vez que bater o desejo. ;)

Carol disse...

Ah, mas eu sempre consegui comprar no Metro! Aliás, a segunda lata que comprei de alcachofras com palmitos veio direitinho, 3 de cada. Enfim, valeu a dica. Eu jamais penso nos Dollaramas da vida para comida...

Gus disse...

Caramba! Palmitos no Dollarama??? Aonde vamos parar?