domingo, 5 de maio de 2013

Sorvete de/na fruta

Outro dia, fui ao supermercado depois de jogar tênis, antes da hora do almoço. Estava morrendo de fome e uma mocinha num mostrador me perguntou se eu queria provar um sorvete. Opa! Claro. Peguei a colherzinha e provei. Achei bom e já ia seguindo em frente.

Mas a moça não ia me deixar ir sem fazer a propaganda, né? Disse que era um sorbet de manga com laranja, com 60% (ou coisa do gênero) de suco natural de fruta, com pouca gordura e pouca caloria, e que vem dentro de uma casca natural de fruta.

Decidi parar para ver a caixa. Achei meio estranha. Cafona. Mas o diabo do sorbet até que era gostoso. E a mulher enfatizando: vêm seis sorvetes na caixa, cada um dentro da casca da própria fruta.

Quanto mais bizarro eu achava, mais vontade tinha de levar para casa.

Levei. A caixa cafona é esta:


Pode dizer: cafona é elogio, né?

E sim, são cascas de frutas mesmo. Este é o sorbet de limão, numa casca de limão (siciliano).


E este é o de coco, numa metade de coco. Sério mesmo.


Fuçando a caixa, realmente os ingredientes são até que bastante naturais (considerando que sorvete, qualquer sorvete, se você ler os ingredientes você sai correndo para muito longe).

E esses sorvetes são elaborados onde? Quem adivinha?

Dica: o Gustavo não adivinhou. E isso que eu dei 50 chances para ele.

Tá frio...

Outra dica (o Gustavo perguntou depois da quinta tentativa): não é feito numa ilha.

Tá frio...

Tá bom, vou falar: na África do Sul.

Poizé.

Mas pergunta se sobrou algum?

Depois, fui procurar no site dessa marca e tem vários outros: de abacaxi numa casca de abacaxi (esse deve ser chato de segurar na mão), de maçã em casca de maçã (juro! não entendi como fazem...) e tem também... de chocolate! Numa casca de quê, não entendi. Não era de cacau e a descrição não explicava.

Mas estou aqui torcendo muito para ele vir uma casca de fruta de chocolate, porque se chocolate for fruta vai ser a melhor notícia da minha vida.

2 comentários:

Melissinha disse...

E de jaca, tem?

Carolina Alfaro de Carvalho disse...

Nem jaca, nem graviola, nem cajá... poxa, nem mesmo banana!