quinta-feira, 11 de abril de 2013

Todo mundo precisa de apoio emocional


Cena vista ontem, num ônibus.

Entra um cara aparentemente jovem (penso que de menos de 30 anos de idade), todo vestido com uniforme militar, aparentemente legítimo.

Empurrava um carrinho de bebê, desses pequenos e dobráveis, no qual havia diversas bandeiras (do Canadá, dos Maple Leafs, de pirata -- aquela preta com a caveira) e, dentro, vários bichinhos de pelúcia.

Havia cartazes e pequenas faixas no carrinho. Uma dizia "no photos", e foi por isso que eu esperei o cara virar de costas ;-)

Uma faixa dessas refletoras, semelhante às usadas pelos cães-guia e que informam que se trata de um animal de trabalho (e portanto não pode ser impedido de entrar em nenhum lugar), dizia: "Emotional support animal". Isto é: animal para apoio emocional.

Fiquei um bom tempo olhando para o carrinho e tentando entender. Será que ele considerava os bichinhos de pelúcia como mascotes? Será que ele carregaria o ursinho para o Afeganistão?

Mas aí, tive a impressão de que um dos brinquedinhos se mexeu. Olhei mais atentamente e vi que ali no meio, soterrado entre os bichinhos de pelúcia e enrolado em um lenço preto, também com a caveira de pirata, aparecia só a frente da carinha de um coelho marrom. Que mexeu o nariz. Conferi de novo e sim, estava vivo. No carrinho de bebê. Soterrado por vários bichinhos artificiais.

Quer dizer, o tal soldado depende do apoio emocional fornecido pelo coelho-pirata assim como um cego depende do cão-guia.

Tentei pensar em que tipo de história existiria por trás dessa cena, mas acho que não tenho tamanha imaginação.

Só sei que às vezes a gente se pergunta se somos normais. Naquela hora, eu cheguei a me perguntar se somos os únicos normais. Mas tudo bem. Vamos todos dar as mãos e cantar ao som de Raulzito:

... Eu vou ficar... Ficar com certeza maluco beleza!

2 comentários:

Melissinha disse...

É a guerra que faz isso às pessoas! :P

Dri Noleto disse...

Intrigante! Uma pilha de animais de pelúcia para disfarçar o fato de carregar um coelhinho...
Militar ou não, normal ou não, o fato é que o "soldado" é muito carente, disso podemos ter certeza!!
;)