domingo, 17 de maio de 2009

Novos bondes em Toronto

É o Gus:
Depois de muito debate e de um processo que durou anos, parece que o projeto de expansão do TTC (ou Toronto Transity Commission, a companhia pública de transportes da cidade) aqui em Toronto vai finalmente sair, mas os governos municipal, provincial e federal ainda estão discutindo como dividir a conta.

O projeto, chamado "Transit City", prevê principalmente a construção de várias linhas de light rail (um misto de metrô de superfície com um bonde mais robusto) cruzando a cidade e ligando Toronto às cidades vizinhas e subúrbios. Claro, como não podia deixar de ser em qualquer projeto dessa natureza, não há qualquer acordo sobre nada - tem gente que aprova, gente que não aprova, gente que aprova mas não sabe bem porque, gente que não aprova e não sabe porque, e gente que não sabe e ponto.

Há também algumas perguntas ainda sem resposta. A primeira é saber o que fazer com os bondes que estão rodando na cidade desde os anos 70. Eles são simpáticos e aparentemente robustos, mas já deram o que tinham que dar (a primeira foto pegamos na Internet, as outras são nossas).








A prefeitura fez uma licitação recentemente para a substituição de todos os bondes. A vencedora (surpresa! surpresa!) foi a canadense Bombardier. A proposta era substituí-los por novos modelos, do tipo instalado em cidades européias como Bruxelas.

Aliás, o bichinho parece ser incrível, como se vê da foto que pegamos na Internet (e, maledicências a parte, era mais barato que os projetos concorrentes). Mas aí começou o jogo de empurra para saber quem vai pagar pela brincadeira. Até agora, o governo provincial só se comprometeu a pagar por uma das linhas do light rail, que usaria esses bondes. Mas nada ainda para o resto...

A segunda pergunta sem resposta é como ficará a expansão do metrô, que está sendo levado mais para o noter, até a Universidade de York (a concorrente da Universidade de Toronto). Parece que estão começando a trabalhar na expansão, mas não há a menor previsão para futuras expansões. Particularmente, eu prefiro o metrô, que me parece mais prático principalmente com neve. Mas, claro, é muito mais caro de construir e de operar...

A terceira pergunta é como será a integração do sistema com os sistemas das cidades vizinhas e com o GO Train (que é faz a ligação com as demais cidades próximas). Ninguém sabe ainda. Aliás, o GO Train parece ser meio inconstante (está sempre dando problema, principalmente no inverno, o que é ridículo - pegamos a foto na Internet).

Enfim, parece que algo vai ser feito, mas promessas não cumpridas e planos mirabolantes que ficam somente no papel não são privilégio do Brasil.

2 comentários:

Rafael disse...

Do jeito que o pessoal é muquirana aqui, só vão repintar os bondinhos e ainda falar "lavou está novo"

Gus disse...

Hahaha

pois é. Acho que a coisa, se sair, vai demorar. Mas a Bombardier é malandra; ela está dizendo que o projeto vai "preservar empregos" em Ontário. Acho difícil a Província não liberar algum...